Parte II – Vantagens do Oracle

Parte III – Vantagens do PostgreSQL

Em 2007, escrevi 2 textos falando sobre as vantagens do Oracle sobre o PostgreSQL e vice-versa. Naquela época, minhas observações foram baseadas no Oracle 10.2 e PostgreSQL 8.2. Depois disso a Oracle lançou as versões 11.1, 11.2 e 12.1. O PostgreSQL lançou o 8.3, 8.4, 9.0, 9.1, 9.2, 9.3 e 9.4. Enfim, muita coisa mudou de lá para cá… a febre da Internet não passou e trouxe a onda no NOSQL para a mesa. Eu também mudei bastante, amadureci muitas opiniões e acho que está mais do que na hora de retomar este assunto. Outra coisa que preciso dizer para o leitor que não me conhece é que este texto não é imparcial. Sou um defensor do PostgreSQL, mas trabalho há 12 anos com Oracle também e reconheço algumas fraquezas e vantagens de um e de outro. Mas em nenhum momento aqui vou enganar o leitor me fazendo crer imparcial. Os comentários estão aí para você complementar ou corrigir qualquer informação que julgar relevante. Apenas peço o de faça de forma educada.

Para começar, devo explicar que para mim não faz muito sentido comparar o PostgreSQL com bases NOSQL ou com MySQL. São produtos com fins diferentes. Talvez comparar o PostgreSQL com o SQL Server faça mais sentido, mas o mais próximo que temos, sem dúvida é o Oracle mesmo. Vejamos aqui algumas semelhanças entre ambos que os tornam próximos:

5 respostas

  1. O Oracle não nasceu em ambiente UNIX. A primeira versão rodou em RSX da Digital em máquinas PDP 11/70. Tinha muitos problemas e eu apenas consegui testá-lo. A segunda versão rodava em VAX/VMS. Eu acho que só pela terceira que Oracle começou suportar Unix.

    1. “Praticamente”, ou seja, não exatamente. A primeira versão sequer foi lançada, digamos que a terceira versão foi logo no começo e o caso com o UNIX foi o mais duradouro na sua história.

Deixe uma resposta