Chega o final do ano e todos mandam seus cartões de natal, e-mails com executáveis suspeitos (que não abrem no Linux 🙂 ) e desejam aquele kit felicidade com natal, ano novo, páscoa, carnaval, fada dos dentes, etc. Também é época de balanço de fim de ano, promessas para o ano que vem, etc.

Bom, não gostaria de falar de mim no momento, gostaria de falar sobre como foi a minha sensação e o que eu espero para o ano que vem na comunidade PostgreSQL Brasileira.

Balanço 2007

Este ano foi sem dúvida um marco histórico na comunidade que já vem crescendo há algum tempo. O crescimento da comunidade de Software Livre como um todo, tem favorecido muito o PostgreSQL que é visto como uma solução livre robusta para ambientes corporativos. Os desenvolvedores tem feito um trabalho fantástico agregando um desempenho crescente e funcionalidades dignas dos maiores competidores do mercado. Mas foi o porte nativo para Windows que fez a comunidade brasileira dar um salto em 2004.

Hoje é difícil haver um grande evento de Software Livre sem uma palestra de PostgreSQL. O FISL costuma ter pelo menos uma meia dúzia de excelentes palestras. Em 2006 o PostgreSQL contou com um stand próprio no CONISLI e em 2007 um stand no FISL.

A participação no FISL de 2007 teve algumas conseqüências importantes. O pessoal da comunidade decidiu se organizar um pouco e tiraram algumas resoluções:

Idéias para 2008

Realmente não foi pouca coisa. Deu muito trabalho tudo isso. No entanto, melhor que 2007 são as perspectivas para 2008. Não há nada oficial por enquanto… não há um plano definido, mas há idéias no ar. Algumas coisas que direi aqui são fruto do meu delírio pessoal, outras são coisas que são praticamente certas de que irão ocorrer.

E por que não… sonhar com 2009!

Em 2009 eu espero que tenhamos uma comunidade mais amadurecida. Se conseguirmos realizar a maior parte do que escrevi aqui em 2008, em 2009 estaremos colhendo frutos interessantes como:

Bom… por enquanto é melhor eu parar de delirar um pouco e arregaçar as mangas. Afinal, 2008 já está aí!!!

Uma resposta

  1. Pode me mandar a merda…

    Show me to code. Quanto disso será revertido para o PostgreSQL, seja em tradução, código ou bugs? Se não tiver essas metas o grupo de usuários é só um vapor de propaganda que suga o projeto original.

    Esta no seu TODO, mas não é prioridade para ti pelo que tu posta na lista pg-geral. 😉

    Ok, pode me mandar a merda duas vezes. 🙁

Deixe uma resposta