Software Livre a venda

A notícia da semana: SUN compra MyAB que desenvolve o MySQL o banco de dados livre mais popular do mundo. O preço, 1 bilhão de dólares. A notícia virou destaque em vários lugares no Brasil e no mundo. Eu gosto muito do PostgreSQL, mas tenho que reconhecer o MySQL tem uma legião de usuários que fazem com que ele seja um jogador de peso no mercado. Particularmente na Internet, o MySQL é largamente utilizado. É simples, é rápido, é livre.

A SUN é uma empresa respeitável. Fez um bom negócio. A Oracle tentou comprar a MyAB há alguns anos sem sucesso. E olhe que estou falando da empresa que acabou de comprar a BEA Systems por 8,5 bilhões de dólares. Assim, vemos os grandes comprando os menores e o mercado vai se concentrando em grandes monopólios com suas soluções de “ponta-a-ponta”. Gostaria de lembrar que não tenho nada contra a SUN. Ela é uma das empresas que mais contribuiu com o Software Livre nos últimos tempos, inclusive com o PostgreSQL. Talvez o fato da SUN não possuir um SGDB de peso no mercado tenha feito com que ela invista neste setor.

Uma coisa curiosa que ocorre quando alguém vê a notícia da compra da MyAB é a reação: “Puxa vida, 1 Bilhão por um Software Livre!”. Então me lembro do texto “Os 5 Tipos de Projetos de Software Livre” do Sr. Josh Berkus. A MyAB tem algo em comum com outros projetos de Software Livre:

  • America On Line compra a Netscape, desenvolvedora do Firefox;
  • Oracle compra SleepCat, desenvolvedora do BerkeleyDB;
  • Oracle compra a Innobase, desenvolvedora do InnoDB;
  • Novell compra SUSE;

São todos casos em que uma empresa comprou outra empresa que desenvolve um Software Livre. Mas eles são de uma categoria especial de Software Livre, são projetos, segundo o Sr. Josh Berkus, do tipo corporativo, onde o desenvolvimento é dependente da empresa que detém a sua propriedade intelectual. Mesmo adotando licenças livres segundo a FSF OSI ou mesmo pelo Debian, eles costumam manter um controle rígido sobre o desenvolvimento do software. Isto significa que você tem garantido o direito de usar, distribuir e modificar o software, mas pode não ter a oportunidade de contribuir com código para o projeto.

Uma consequência direta sobre isso, é que os “projetos corporativos” de software livre tem preço. O MySQL teve seu preço avaliado em 1 bilhão de dólares. Outras empresas como Red Hat, Canonical, Zend e outras tem seu preço. Mas há projetos importantes que até o momento parecem resistir a essa idéia. O Kernel do Linux não está a venda, o PostgreSQL, o Debian, o Gentoo também não. Assim, vemos que existe um corte importante ao se olhar para projetos de Software Livre. É preciso olhar para como o Software Livre é desenvolvido para saber o que se pode esperar do seu futuro.

Não acredito que a SUN vá trazer malefícios para o MySQL, mesmo porque ele não compete com nenhum outro produto já existente dentro da SUN. Mas este tipo de coisa acontece muito. Em 2000 a IBM comprou o Informix que competia com o DB2 e ele foi sumindo silenciosamente do mercado. Em 92 FoxPro foi comprado pela Microsoft e teve o mesmo destino. Assim, vemos soluções algumas vezes muito boas sumindo para dar espaço por outras com mais fôlego financeiro.

3 comentários sobre “Software Livre a venda

  1. Vale a pena lembrar.
    A Netscape não era produtora de Software Livre quando a AOL a comprou.
    Tempos depois de ja te perdido o mercado a AOL decidiu abrir o código do Netscape.
    Algum tempo depois da fundação Mozilla surgir, o código foi liberado para ser escrito com licença aberta.

    Curtir

  2. Pingback: SAVEPOINT » Sobre a Sun comprando o MySQL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s