Cerveja, café e Software Livre!

Hoje, eu estava lendo um artigo do BR-Linux comentando que o criador do PHP recomendou o uso do MySQL ao invés do PostgreSQL para aumentar a velocidade das aplicações. Isto me lembrou de outro artigo postado do BR-Linux onde o autor compara o desempenho de diversas linguagens de programação.
Como fui adolescente há não muito tempo, ainda me lembro das intermináveis discussões sobre as qualidades do MSX e Apple II.

<!– @page { margin: 2cm } P { margin-bottom: 0.21cm } –>

O Software Livre traz consigo uma liberdade que para muitos é difícil de desfrutar. Bem, mas antes de mais nada eu gostaria de lembrar de algo mais agradável, que tem haver com a maioria dos bons programadores: o café e a cerveja!

Ambos possuíam fabricação caseira ou semi-industrial até alguns séculos atrás. Um bom café era chato de ser preparado e a cerveja depois de pouco tempo de fabricação azedava. Com o advento da pasteurização, surgiram as grandes cervejarias e com o advento do café solúvel, qualquer criança prepara um café em segundos. O problema disso é que a qualidade do café e da cerveja caiu drasticamente. Para atender a um processo de fabricação em larga escala, algumas coisas se perderam no caminho. Mais que isso, o processo de comercialização em larga escala exige que se tenha um produto com boa aceitação pela maioria dos consumidores. Assim, foram consagradas fórmulas medias capazes de satisfazer a maioria dos paladares em todo o mudo. Há poucas décadas, a liberdade de escolha está ressurgindo. Pequenas cafeterias e cervejarias estão ressurgindo, oferecendo diferentes tipos de café e cerveja de fabricação artesanal. Isto não significa que passaremos a consumir produtos artesanais ao invés de industrializados. Significa que existem sabores diferentes dos que estamos acostumados. Alguns podem ser muito interessantes, outros não. Alguns caem bem com determinados tipos de comida, ou combinam com um clima em particular. A indústria continuará oferecendo bom café e cerveja para a maioria das ocasiões. Haverá no entanto momentos em que outras opções podem ser mais interessantes. Certamente não se pretende que um substitua o outro.

Dizer que a linguagem A é melhor que B, ou comparar editores e SGDBs tem o mesmo efeito. Mesmo a solução de maior sucesso pode ser menos apropriada do que outra melhor adaptada para situações específicas. Já dei algumas palestras de PostgreSQL por aí e sempre mantive um excelente relacionamento com palestrantes sobre MySQL.

Sou obrigado a reconhecer que uso ambos. Aliás, eu diria que há projetos em que o SQLite é uma excelente opção. Em outros sou obrigado a dizer que ainda precisamos de algo do porte de um Oracle.

O mais importante afinal é que você possa escolher a cerveja que mais lhe agrade e se sentir satisfeito com ela. Se der sorte, pode descobrir outras muito interessantes que podem lhe apetecer em alguns momentos. No final, refinando seu paladar você só tem a ganhar.

“Álcool: A causa de, e a solução para, todos os problemas da vida.” —Homer Simpson

Um comentário sobre “Cerveja, café e Software Livre!

  1. Pingback: O que aprendi com o blog | Savepoint

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s