Sobre o DBA Brasil 1.0

Tivemos um FDS de grandes emoções. Vou me abster de comentar sobre o domingo, mas gostaria de tecer alguns comentários pessoais sobre o que foi o DBA Brasil 1.0 na minha não tão humilde opinião:

  • O primeiro grande acerto que parece que foi um gol de placa: Juntamos DBAs de várias tribos num clima bastante amistoso. Tenho aqui que agradecer formalmente os criadores do grupo no Whatsapp, os Srs. Fábio Cotrim, Ronaldo Garcia de Brito, Vinícius Kléber Martins Silva e Willian Oliveira. Foram eles que começaram tudo isso. Do primeiro grupo no Whatsapp vieram outros, veio o grupo no Telegram, depois veio a cerveja. E da cerveja nasceu o evento, claro. Outras cervejadas virão, e outros eventos certamente, sempre com o mesmo espírito de convivência fraterna e solidária.
  • O segundo grande acerto, foi brigar por uma grade técnica, sem comerciais e sem interferência de nenhum patrocinador. Foi assim que tivemos mais de 50 propostas de palestras e pudemos selecionar 18 sem nenhum objetivo que não fosse a qualidade do evento. Isso senhores, faz toda a diferença. Já participei de um grande número de eventos, a gente sabe claramente a diferença que isso faz.
  • Abrir espaço na grade para assuntos correlatos. Storage, linguagem SQL, NoSQL, tivemos espaço para outras tribos e isso faz o evento ser mais plural. E foi interessante notar que no público haviam administradores de sistemas e desenvolvedores também. Acho que o sonho de todo DBA é que esse público aprendam mais sobre bancos de dados. Estamos fazendo a nossa parte!
  • 100% do dinheiro arrecadado foi investido no evento. Não ficou um tostão com ninguém e todos os participantes, palestrantes, patrocinadores e até organizadores foram tratados com isonomia.
  • Alguns números interessantes:
    • 610 inscrições antecipadas. Encerramos as inscrições nesse ponto com medo de lotar demais o local e tornar o evento impraticável.
    • 222 inscrições confirmadas até um dia antes do evento. Foi por causa desse número que decidimos aceitar novas inscrições no local.
    • 249 pessoas com presença registrada durante todo o dia.
    • 71 avaliações preenchidas até o momento em que estou escrevendo este texto. Apenas 95,3% avaliou positivamente as palestras do evento. Algumas críticas importantes, mas uma avaliação massivamente positiva.
    • 18 palestras (nenhum palestrante faltou, ufa!) e 12 palestras relâmpago.
    • 25 patrocinadores e apoiadores. Sim, a Timbira esteve patrocinando também, claro!

Acho que as pessoas gostaram do evento no geral. Vi poucos problemas que foram contornados sem demora. A equipe conseguiu conduzir bem o evento. Nem parece que fizemos tudo isso em cerca de 2 meses.

Sobre o 2.0, temos que terminar de fechar o 1.0 ainda. O pós evento dá um bom trabalho. Mas vejo muita gente querendo ajudar no próximo. Certamente teremos um evento melhor!

802207495_81091

Tenha seus 5 minutos de fama no DBA Brasil 1.0!

Se você não vai palestrar no DBA Brasil 1.0, essa é sua chance de ter seus 5 minutos de fama na parte mais divertida do evento, os Lightning talks (ou palestras relâmpago em pt_BR). Serão 12 palestras consecutivas na sessão de encerramento do evento, mas cuidado: se você estourar os 5 minutos vai levar uma buzinada no final do seu tempo!

Interessados devem enviar e-mail para fabio.telles@gmail.com contendo:

– Nome completo
– Telefone
– Título da apresentação
– Descrição resumida
– PDF da apresentação (se for utilizar, não é obrigatório)

Seja rápido, pois apenas os 12 primeiros inscritos vão entrar. As inscrições começam agora!

Vejo vocês lá.

10 motivos para não ir ao DBA Brasil 1.0

Todo evento de informática tem sempre suas queixas…

  • Evento genérico, tudo palestra para iniciante“. Aqui não jacaré, tem palestra de alto nível.
  • Evento elitista, só especialista participa“. Tem palestra de vários níveis, vai que dá pé!
  • Evento só de DBA, eu não sou dessa área“. Errou novamente, tem palestra sobre SQL que desenvolvedores vão curtir e palestras sobre Storage que os sysadmins vão adorar.
  • Só fala do produto XPTO“. Opa, tem de tudo aqui, NoSQL, MySQL, SQL Server, Oracle, PostgreSQL, DB2…
  • Só fazem propaganda…“. Grade 100% livre de propagandas, pesticidas e transgênicos.
  • Sou estudante, não tenho dinheiro para pagar a inscrição“. Vai perder? Inscrição na faixa! Só levar 1Kg de alimento não perecível.
  • Mas fica longe….“. Cara, fica a 50m do metrô Paraíso em São Paulo. Deixa o carro em casa e aproveita para tomar uma cerveja com o pessoal depois do evento.
  • Mas se é de graça não deve ser bom“. Se liga na lista de palestrantes… acha mesmo que alguns dos maiores profissionais do Brasil na área não dão credibilidade ao evento?
  • É coisa para fanboy“. Não temos espaço para mimimi, se é bom a gente fala, se tem problemas a gente aponta, se dá pra contornar a gente mostra como. Não temos o rabo preso com ninguém.

Dito isso, o evento já parece um sucesso, muitas inscrições e uma grade que me deixou orgulhoso. Eu mesmo abri mão de palestrar para dar lugar para outras pessoas. O duro vai ser escolher o que assistir entre 3 salas simultâneas.

O evento assumiu um formato que eu espero poder repetir por muito tempo: simples, sem mimimi, plural e de alto nível. Um brinde!

DBA Brasil 1.0

Já faz um tempo que participo de eventos de informática, uns 30 anos provavelmente. Existem diversos tipos. Nos anos 90 eu participei muito daqueles shows que eram a FENASOFT e a CONDEX. Parecia o salão do automóvel da informática. Participei de eventos mais focados mas bancados por grandes fornecedores como Oracle, IBM ou Microsoft. Vi grandes Keynotes falando em palcos luxuosos e com um virtuosismo invejável. Mas foram os eventos de Software Livre como o FISL e o CONISLI que me encantaram. Mas ainda são eventos muito genéricos que trazem pouca profundidade em temas específicos. Então deixei de promover eventos genéricos como os que ajudei a organizar no PSL-ABCD e comecei a promover os do PostgreSQL em 2007.

Hoje temos um grupo muito interessante que é a turma do DBA Brasil, que fala de Banco de Dados de forma mais ampla. Um grupo com muita gente boa e que tem crescido rapidamente, com a presença de gente com uma experiência enriquecedora. Depois do primeiro encontro em dezembro, o próximo passo era previsível e em 16/04 teremos o primeiro evento organizado por esse grupo, o DBA Brasil 1.0!

Esse evento traz coisas bacanas dos demais eventos de Software Livre, como uma grade que não deve nada a nenhum patrocinador, com a descontração e a informalidade dos eventos promovidos por grupos de usuários. Ao mesmo tempo trás o foco e a profundidade de um evento que discute um assunto em particular, Bancos de Dados. Então vamos às informações práticas:

  • Data: 16/04/2016 – Sábado
  • Horário: das 9 às 19 horas
  • Local: Bandtec (colégio Bandeirantes), Rua Estela, 268 – Vila Mariana, São Paulo – SP
  • Custo: 1Kg de alimento não perecível
  • Inscrições, a partir do dia 18/03
  • Chamada de trabalhos aberta até o dia 18/03 aqui
  • conteúdo: 12 palestras de 50 minutos cada e um Lightning Talk com 12 palestras de 5 minutos no final

Como vocês veem, a chamada de trabalhos está aberta! Espero ver algumas pessoas conhecidas lá, mas também quero ver gente nova. Como o evento é novo, muita gente se pergunta que tipo de palestra esperamos ver lá. Bom, qualquer pessoa pode se inscrever na chamada de trabalhos, e pode inscrever quantas palestras quiserem. Então aqui vão minhas sugestões:

  • O hit número 1 de todo DBA: backup/restore, sempre uma boa pedída
  • Os próximos clássicos que nunca faltam: HA e tuning
  • BI, Big Data, ETL, Data Warehouse e temas que estão sempre bombando por aí
  • Storage e novas tecnologias de discos. Um tema sempre relevante
  • noSQL também é sempre bem vindo, já faz parte do dia a dia
  • Bancos de dados Geo Espaciais também vieram para ficar, sempre aparecem coisas interessantes nessa área
  • Algo que seria interessante ver, gente que sabe tirar proveito de ferramentas de ORM da maneira correta. Tema polêmico, mas com platéia garantida
  • A onda do devops chegou nos DBAs também, ferramentas e métodos de provisionamento ágil também estão na paula, mais do que nunca!
  • A linguagem SQL também é um tema sempre relevante, nunca me canso de aprender novos truques
  • Melhores práticas, truques ninjas, novidades no mercado, pesquisas interessantes, etc

Bom, senhores, dá para dar algumas ideias, agora é com você se inscrever e participar. Vejo vocês lá!

PostgreSQL fillfactor

Precisei fazer uma prova simples para um cliente para mostrar como o parâmetro de storage FILLFACTOR afeta uma tabela e como verificar a sua eficiência. Toda vez que um UPDATE é executado no PostgreSQL, ele marca a tupla atualizada para remoção posterior e cria um novo registro. Porém, se no bloco onde o dado está gravado houver espaço sobrando, o PostgreSQL pode fazer a atualização dentro do próprio bloco, utilizando um recurso conhecido como “Heap Only Tuples”, ou HOT. Quando foi introduzido no PG 8.3, foi considerado um divisor de águas, aumentando muito a performance do banco e diminuindo o uso do Vacuum. Mas você pode dar uma ajuda para o HOT funcionar, deixando mais espaço livre para ele trabalhar em tabelas que sofrem muitas atualizações. Vejamos uma demonstração simples.

Primeiro vamos criar uma tabela nova e verificar as estatísticas e depois rodar um UPDATE:

Note que após a atualização, os 1009 registros foram atualizados. Ao olhar o campo n_tup_hot_upd, ou seja número de tuplas que realizaram o HOT durante o UPDATE vemos que apenas 5 foram atualizados com o HOT.

Agora vamos criar novamente a tabela e antes de popular ela vamos ajustar o FILLFACTOR em 90:

Note que agora o número de registros que usaram o HOT subiu para 116. Se fizermos a mesma coisa com um FILLFACTOR em 70:

Por fim com FILLFACTOR EM 50:

Note que aumentar o valor o FILLFACTOR significa também aumentar o volume de espaço em disco utilizado. No nosso exemplo, a tabela que com 100% de FILLFACTOR (o padrão) ocupava 208KB ocupou 424KB com 50%.

O negócio é acompanhar as estatísticas da sua base e verificar onde você tem tabelas com tamanho menor e alto volume de UPDATEs. Nestas tabelas, ajustar o FILLFACTOR, AUTOVACUUM e AUTOANALYZE é vital para um bom desempenho. Tabelas pequenas às vezes passam desapercebidas pelos olhos dos DBAs, mas podem ser grande fonte de dor de cabeça se forem utilizadas com frequência e não forem ajustadas de maneira correta.

 

Concurso “Melhor artigo sobre PostgreSQL”

Tem um zilhão de coisas que eu gostaria de escrever e não tive tempo ainda, então aqui vão algumas ideias:

  • Novas tecnologias sobre Storage e Discos e como ajustar o PostgreSQL para tirar o melhor proveito delas;
  • BDR, replicação bidirecional como nunca vimos antes. Está na crista da onda.
  • Uma boa comparação de tecnologias de replicação / cluster. Tem um monte, vai por mim. O povo tem dificuldade de escolher, a gente precisa dar uma mão!
  • Novos comandos SQL de de UPSERT e CUBE, ROLLUP e GROUPING SETs. Tem muita coisa legal para mostrar aqui. Só montar seus exemplos e demonstrar no psql!
  • Demonstração do Row Locks Security. Segurança avançada é algo muito procurado. Seria legal demonstrar também um pouco das extenssões chkpasspasswordcheckpgcrypto.
  • Comparações de desempenho com índices BRIN, rowlock, sort e outras melhorias de desempenho do 9.5. Se puder fazer um comparativo com muitos processadores, seria lindo.
  • Ideias criativas com as novas funcionalidades de FDW. Dá para fazer coisas mirabolantes, quais as suas ideias?
  • Tipos de dados, propriedades e funções. São tantos tipos de dados, fazem tantas coisas bacanas. A gente tem que divulgar mais isso. Intervalos por exemplo resolvem problemas muito complexos de forma elegante. Quem usa bem tipos avançados, sempre tem um bom exemplo para dar.
  • Testes com algumas ferramentas novas de monitoramento e desenvolvimento… tem coisa boa no ar por aí.
  • DataFiller, ferramenta para geração de dados aleatórios. Algo que pode ser muito útil, fiquei de testar faz um tempo.

Bom, ideias não faltam, com um pouco de cerveja e bom papo surgem dezenas! Só colocar a mão na massa, ou melhor, a mão no teclado.

 

10 anos de PGBR

Ok, ok… antes que alguém reclame, a comunidade de PostgreSQL no Brasil começa no final da década de 90 numa lista de discussões por e-mail no Yahoo. Mas o que houve é que em meados dos anos 2005 a turma começou a se esbarrar cada vez mais com frequência nos eventos de Software Livre pelo Brasil. Particularmente no FISL e o saudoso CONISLI. Foi no CONISLI de 2006 no Anhembi que a turma se juntou e decidiu tomar alguns passos mais ousados. Foi a partir daí que a comunidade passou a se organizar um pouco mais formalmente. A CELEPAR passou a hospedar num servidor compartilhado com a comunidade do BROffice um wiki, uma lista de discussões, depois um planeta e um site.
Também foi a partir daí que decidimos realizar o nosso primeiro evento de PostgreSQL só nosso, o PGCon Brasil 2007.

Para comemorar estes 10 anos na comunidade, um plano ousado para 2016! Vamos brincar com o número 10 e traçar algumas metas….

  • 10 blogs falando sobre PostgreSQL.
  • 10 podcasts, vídeos, hangouts sobre PostgreSQL.
  • 10 patches novos no PostgreSQL e/ou novas extensões.
  • 10 PGDays, o primeiro já está marcado para março, em Curitiba.
  • 10 palestras em eventos internacionais.
  • 10 palestrantes internacionais no PGBR 2016.

Está na hora do pessoal se mexer agora. Vou iniciar minha singela contribuição presenteando o melhor artigo sobre PostgreSQL escrito até o final do carnaval (em 10/02/2016). Basta colocar um link para o SAVEPOINT e publicar o artigo na Internet. O melhor artigo vai ganhar uma garrafa de Vodka que eu vou trazer da Rússia no PGConf RU 2016. Se você já tem um blog, está na hora de tirar a poeira dele, se não, é uma boa hora para começar. Assunto para escrever não falta.

Posso usar o PostgreSQL 9.5 em produção hoje?

Hoje me perguntaram se a versão do postgres 9.5 lançada ontem já pode ser colocada em produção. A resposta correta é “depende”, como todo bom consultor irá dizer, para praticamente qualquer pergunta que você fizer. Vamos aos fatos:

  • As versões X.Y.0 são testadas pelos desenvolvedores e entusiastas durante o desenvolvimento e particularmente durante o lançamento do Release Candidate. Se após o lançamento do RC nenhum bug for encontrado durante os testes a versão é liberada. Isto significa que o PostgreSQL só libera uma nova versão quando todos os bugs encontrados são eliminados.
  • Preste atenção na frase anterior… falamos de “bugs encontrados”. Sabe como é… por mais que você teste, sempre passa alguma coisa. E durante toda a vida de um software, sempre haverão novos bugs descobertos, ainda mais quando se tratar de um software grande e complexo como um SGDB. É por isso que periodicamente são lançados patches com correções para os erros e vulnerabilidades encontradas com o tempo.
  • Lançada a versão X.Y.0, as pessoas em geral saem da fase de testes e passam para a homologação, onde o SGDB é colocado em um ambiente mais parecido com a produção possível e onde usuários passam a testar a base. Esse processo costuma levar algumas semanas ou meses.
  • Sistemas periféricos, mais simples ou menos críticos, costumam serem migrados primeiro. Os demais sistemas costumam aguardar pelo menos a liberação do primeiro patch de correção, ou seja, o 9.5.1 para que as pessoas se sintam mais confiantes em migrar.
  • Algumas empresas só migram versões com mais de um ano de existência. Com o Oracle, é comum pularem as versões .1, como o 9.1, 10.1, 11.1 e atualmente o 12.1 . Isso não é à toa, parece que as versões, .2 são muito mais estáveis. As versões 10.2 e 11.2 por exemplo, eram visivelmente mais maduras que suas antecessoras.
  • Um ponto fora da curva que deve ser notado: se uma nova funcionalidade fizer muita diferença para o seu negócio. Você pode optar por migrar mais rápido para uma nova versão para obter uma vantagem importante. Neste caso, é preciso ter uma equipe experiente e que tenha noção dos riscos envolvidos. Claro que se você tiver suporte adequado, isso se torna menos doloroso e você será capaz de reagir mais rapidamente, caso contrário, será que vale o risco?

PostgreSQL 9.5 lançado!

Mais uma aguardada versão do postgres foi lançada hoje, 07/01/2016. A versão traz muitas novidades interessantes, 3 delas foram desenvolvidas pelo nosso consultor da Timbira, Sr. Fabrizio de Royes Mello. Veja no release notes, a lista completa das novas funcionalidades da versão 9.5.

  • Para comemorar o lançamento da 9.5 lançamos uma pesquisa para as pessoas dizerem quais as novas funcionalidades do PostgreSQL que elas gostaram mais.
  • Divulgaremos o resultado no dia 20/01 no nosso primeiro Programa de Índio do ano, falando sobre o PostgreSQL 9.5, a próxima versão 9.6 e o que mais vem pela frente.

Sobre o primeiro encontro do DBA-Brasil

Ontem, 10/12/2015, rolou o primeiro encontro do grupo recém criado DBA-BR. Apesar da época complicada, com muito trânsito, lugar cheio, barulho e o cansaço de fim de ano, o evento foi muito divertido. Contei umas 25 pessoas +/- . Rever amigos e conhecer novas pessoas é sempre divertido. Fico pensando que muitos DBAs se sentem um pouco isolados ou em minoria nos seus lugares de trabalho, pois em geral estão cercados de pessoas de outras áreas. De qualquer forma ficou claro que juntar essa turma é garantia de bom papo e muitas histórias para contar e ouvir.

Agradeço o pessoal do DBA-BR que organizou o encontro e espero ver todos num momento mais calmo em breve. Algumas ideias aleatórias que surgiram ontem:

  • Todo DBA se ferra com praticamente os mesmos problemas, só muda o endereço. Muitas histórias parecidas com o que eu já vivi em todos lugares.
  • DBA Oracle não consegue ficar muito tempo sem falar de RAC;
  • DBA SQL Server pouco manja de linha de comando. Mas quando o bicho pega mesmo, é lá que se resolvem os problemas cabeludos.
  • DBA DB2 é uma espécie em extinção, ainda mais em mainframe.
  • Muitos DBAs ainda acham que PostgreSQL é só um brinquedinho…
  • A maioria dos fabricantes de SGDBs vendem a ideia de que em breve o seu produto não vai mais precisar do DBA. E os clientes realmente compram essa ideia.
  • Ao contrário do que diz a lenda, DBAs não tem problema em compartilhar conhecimento e ajudar os outros. Mas DBA bonzinho… aí é difícil! DBA tem por obrigação colocar ordem na casa, e muita gente fica brava com isso.
  • Muitos causos, muitas histórias bacanas… isso me deu uma ideia. Logo posto sobre isso. Mas adianto que a brincadeira vai ser gravar alguns podcasts com causos dos DBAs do grupo. Acho que vai ser bacana.
  • Bora marcar outro encontro. Sugiro algo depois do carnaval, quando o calendário brasileiro começa a vigorar de verdade.

encontro_dbabr1