Eu sou do tempo do video-texto, os primeiros grupos on-line que eu participei, ainda na década de 80. Depois vieram os BBSs, e finalmente a internet trouxe o IRC e as salas de bate papo dos grandes sites. Depois veio o Orkut, o Facebook e o Twitter. Hoje a onda é o Whatsapp, snapchat, etc.

É difícil ver alguém que não use o Whatsapp hoje em dia, ele tem mudado a forma como as pessoas se comunicam. As operadoras de telefone celular que o digam. Os grupos no Whatsapp se tornaram uma febre. Logo algumas pessoas resolveram criar grupos temáticos e isso se alastrou. Antes os grupos tinham um limite de 100 participantes, agora são 256 mas isso ainda é pouco para atender uma comunidade em torno de um assunto comum.

O Telegram tem se tornado a alternativa mais comum para grupos grandes, pois seu limite é de 5 mil usuários. Não conheço nenhum grupo com tantas pessoas, o maior que eu participo está com mais de 800, o DBA Brasil. As vantagens do Telegram estão muito além do limite de usuários. A principal vantagem para mim é poder usar o Telegram em outros dispositivos como notebook, desktop, tablet, etc, sem precisar que toda a comunicação passe pelo celular. A comunicação fica mais rápida e consome menos banda do meu celular. Outra questão é que os grupos só são atualizados quando eu abro o aplicativo no celular, então eles não ficam gerando zilhões de notificações. Mas se alguém citar o meu nome ou responder uma mensagem minha aí eu recebo uma notificação instantânea.

Os grupos no Telegram começaram a pipocar e crescem rapidamente. Eu vi o grupo o grupo Vagas de TI subir para mais de 600 participantes em poucas semanas. Uma das coisas interessantes no Telegram é a liberdade. Qualquer um pode criar um grupo público, qualquer um pode entrar, qualquer um pode escrever. A liberdade tem suas vantagens e desvantagens. Eu sempre acho que a liberdade vale à pena. Tem custo, mas vale à pena. Qualquer pessoa pode entrar no grupo, isso inclui spammers, pessoas fazendo propaganda de coisas ilegais, pornografia, etc. Por outro lado, os administradores do grupo podem banir estas pessoas e elas não podem mais voltar com a mesma conta nesse grupo. Então criar regras de convivência é fundamental para o bom andamento do grupo e a ação atenta dos administradores também. Mas posso dizer que em grupos com mais de 800 pessoas as coisas funcionam bem. Não sei como será quanto tivermos 5 mil pessoas num único grupo. Mas pelo que vi, as pessoas tinham medo de grupos com mais de 100 pessoas, e até agora tudo bem. Claro que não dá para dizer bom dia para todo mundo todos os dias. Mesmo assim em momentos mais calmos sobra tempo para momentos de descontração. Moderação é o segredo do sucesso. Não precisa ser um grupo tirano, mas também não dá para deixar rolar completamente solto. Em geral as regras de convivência são bem simples.

Para ajudar, um grupo de administradores de vários grupos criou uma página muito útil com os links de vários grupos do Telegram. Neste exato momento já são mais de 70 grupos diferentes e o número vem crescendo rapidamente. Você pode criar o seu próprio grupo se quiser, mas antes de fazer isso algumas recomendações:

Participar dos grupos pode ser muito divertido e útil. Basta ter um pouco de bom senso. Você pode entrar e sair de qualquer grupo quando quiser. Como o Telegram é muito mais leve que o Whatsapp, os grupos não vão saturar seu celular e você participa quando quiser.

Seguem algumas dicas para quem quer entrar no universo dos grupos do Telegram:

A questão agora não é mais se você prefere ou não o Whatsapp ou o Telegram, as comunidades estão se organizando em torno da plataforma mais adequada para esta função. Longa vida ao Telegram, ou até a próxima tecnologia que venha a substitui-lo! Apesar e eu ainda gostar do IRC….

6 respostas

      1. Realmente é um problema. Me os grupos ficam sujeitos ao humor dos criadores do grupo. Seja em regras de conduta, ou o caso triste do Debian BR. O que era para ser apenas uma ferramenta para um bate papo entre poucas pessoas não é a melhor opção para uma comunidade. A dinâmica das coisas tem feito muita gente migrar de lá para cá. É tudo bastante dinâmico, vamos ver o que acontece…

Deixe uma resposta