Comprar pronto, desenvolver internamente ou desenvolver externamente?

Parte 2 – Metodologia para compra de software
Parte 3 – Requisitos para compra de software
Parte 4 – Conclusão

Comprar software é um grande tabu! Não estou falando obviamente de software de prateleira, estou falando em grandes aplicações para uso corporativo. Para quem pensa que basta dar um giro na Internet e dar meia dúzia de telefonemas, não se engane. A escolha da melhor opção pode demorar mais de um ano, envolver consultoria especializada e movimentar uma grande equipe interna.

Longe de ser um especialista nesta área, seja academicamente, ou profissionalmente, o fato é que acompanhei alguns processos de aquisição de softwares e procurei fazê-lo da melhor forma possível. Gostaria aqui de discutir algumas idéias que hoje me fazem sentido.

A primeira questão ao comprar um software é pensar se você quer realmente comprar algo “pronto”, contratar uma empresa que faça o desenvolvimento a partir do zero sob medida ou desenvolver o software você mesmo com uma equipe interna. E uma decisão deste tipo pode parecer óbvia, mas é muito delicada. Envolve o modelo de TI da empresa. Sempre que se deseja implantar ou substituir um grande sistema corporativo, este tipo de questionamento deve ser refeito e analisado com cuidado. Com o passar do tempo, as respostas dentro de uma mesma organização podem mudar significativamente.

A primeira coisa que eu quero dizer é que esta decisão envolve basicamente 5 aspectos:

Não existem respostas prontas. Cada opção traz respostas melhores ou piores em cada um dos itens que variam de intensidade conforme a configuração da sua empresa.

Antes de passar em vista como o tipo de abordagem escolhida (comprar um pacote, desenvolver fora ou desenvolver localmente) afeta estas 5 variáveis é preciso fazer um esforço de diagnosticar a sua situação atual:

Bem, pensando nisto, vamos avaliar nossas opções:

Desenvolvendo software localmente

Esta opção só é mensurável para quem já tem uma equipe interna bem estruturada. Somente sistemas pequenos, simples e estritamente periféricos podem ser confiados a uma equipe imatura de desenvolvimento. Se você está pensando em criar uma equipe nova para uma aplicação que não tem pressa de ficar pronta e está disposta a arcar com os custos desta equipe a longo prazo, esta também pode ser uma opção a se pensar.

Quanto maior a confiança na sua equipe de TI, maior são as vantagens de você confiar o desenvolvimento a ela. É vantajoso ter uma boa equipe interna se você depende muito de bons sistemas para o sucesso das suas operações. Um banco dificilmente irá confiar em terceiros para desenvolver seus sistemas centrais. A idéia de desenvolver grandes sistemas internamente está associada a diminuição do risco e não do custo.

Outro fator que pode alavancar o desenvolvimento interno é fazer uma customização de um software livre já existente. Softwares como o ERP livre Compiere estão se tornando realidade no Brasil. Quanto mais genérica for a sua demanda, maior a chance de existir uma aplicação livre que possa ser adaptada para as suas necessidades. Vale a pena pesquisar as soluções livres existentes no mercado. Os custos costumam cair e você não fica dependente de uma empresa externa, diminuindo ainda mais os seus riscos.

Desenvolvendo software externamente

O desenvolvimento externo é o meio termo entre desenvolver algo internamente e comprar algo pronto. Assim suas vantagens e desvantagens costumam ficar num meio termo entre ambas as opções. Se você tem uma equipe de TI pequena para abraçar um grande projeto, mas com capacidade de especificar bem as suas necessidades, o desenvolvimento de uma aplicação sob medida pode ser a solução ideal.

A opção de desenvolver uma aplicação a partir do zero utilizando uma empresa externa pode ser uma opção muito segura se você souber fazer isto direito. Quando você tem necessidades muito específicas e uma equipe interna pequena, esta pode ser uma excelente opção. Você também pode contratar uma empresa para adaptar uma solução livre já existente para as suas necessidades, diminuindo ainda mais sua dependência do fornecedor e seus custos. Esta opção torna viável a implantação de grandes sistemas em empresas de menor porte com uma boa margem de segurança, em um prazo bastante curto.

Comprando um pacote de software pronto

Esta opção é a mais difícil de se adotar, pois você tem pouca ascensão sobre o produto que vai adotar. No entanto existe algumas situações em que ela é a única opção viável.

Existem duas situações em que a compra de um pacote de software costuma ser mais viável:

Cabe aqui lembrar, que quanto mais genérica for a sua necessidade, maior a possibilidade de existir um software livre bastante maduro capaz de atender às suas necessidades.

2 respostas

  1. Para complementar…

    Desenvolvimento Interno:

    Projetos que envolvem a parte vital de uma empresa ou instituição geralmente não ficam com a equipe local (falando de Brasil) por que as empresas que fornecem tem mais conhecimento dos processos do que um equipe interna. Pois o foco de negócio de uma empresa ou instituição geralmente não está relacionado a TI, mas outras áreas. Nessas situações pode ser muito oneroso manter uma equipe interna que desenvolva o ERP da empresa/instituição.

    Nestes casos é melhor ter uma empresa especializada (com foco do negócios em TI) para manter e na equipe interna ter desenvolvedores e analista que agreguem a ferramenta.

    Desenvolvimento Externo:

    Ainda no Brasil, empresas com CMMI são rara e caras. Se olhar por esse ângulo verá que o custo pode ser muito alto, neste caso é necessário relaxar um pouco nas exigências e checar os casos de sucesso dessa empresa.

    Por enquanto é só pessoal…
    fike

Deixe uma resposta