Janeiro é um mês estranho.

Bom depois de sobreviver a tantas provações, excessos e eventos cataclísmicos, tudo isso, chega o porre homérico do ano novo. Janeiro chega enfim como uma bonança há tempos esperada.

Enquanto muitos lotam as praias, hoteis, pousadas, castelos europeus, campings e outras acomodações, muitos continuam a trabalhar, mas não normalmente:

Então janeiro é este mês mágico onde a insanidade de dezembro se encerra sem que no entanto as promessas de ano-novo se iniciem, uma vez que isso só passa a valer depois do carnaval. É aquele período mágico onde a tendinite acumulada em dezembro ainda o assombra, mas já permite que você abra a porta de casa sem arder infernalmente. É uma época em que alguns pais corajosos se aventuram a levar seus filhos em parques de diversões abarrotados de crianças com insolação e encharcadas de chuva ao mesmo tempo, lutando para conseguir ir em mais de um brinquedo no mesmo dia. Ok, eu confesso, levei meus filhos no tal do Hopi Hari tempos atrás e descobri que isso é tão idiota quanto querer levar a namorada/esposa/amante/secretária no motel no dia dos namorados/secretária sem reserva.

E cá estamos nós, tirando poeira do blog em pleno horário de expediente, lendo os quadrinhos excepcionais do André Dahmer na internet, lendo mais um livro do Douglas Adams na hora do almoço, marcando todos os seus Feeds/mails/tarefas de 2010/whatever como lidos e mergulhando naquela sensação pinkfloydiana de “Confortably Numb“.

Não é a euforia que poderia ser numa praia tomando todas com os amigos. Não é a calma de estar em casa assistindo uma eterna sessão da tarde. Nem tão refivigorante como um retiro nas cachoeiras de Lumiar. Mas é esse momento de suspensão onde nos permitimos um pouco de ócio produtivo, um pouco de delírio, um pouco de calma e um monte de dívidas para pagar.

Janeiro para mim é isso. De longe o pior mês do ano para se tirar férias, pelo simples motivo de todos quererem justamente isso. O melhor mês para implantar coisas que seu chefe boicota há tempos (afinal ele está de férias…). O melhor mês para ler coisas diferentes e ver filmes bizarros. E deixem janeiro passar sem pressa, como um domingo preguiçoso sem louça para lavar.

Uma resposta

  1. Aaaah! Esquece. Todos os bugs, voltaram de férias mais cedo, as garantias dos hardwares venceram e as migrações tem de terminar antes do carnaval. Inferno!!!

Deixe uma resposta